FLORÂNIA – SÍMBOLOS CÍVICOS DO MUNICÍPIO. (8º Fascículo)

O Blog Coisas de Florânia compromissado com o SABER COLETIVO das nossas coisas lança em primeira mão a categoria FLORÂNIA – História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Essa categoria é subdividida em vários fascículos, tornando de fácil acesso uma pesquisa mais profunda sobre o município de Florânia/RN.

Nesse oitavo “fascículo virtual” abordaremos OS SÍMBOLOS CÍVICOS FLORANIENSES.

Ao término das postagens desses fascículos disponibilizaremos as referências bibliográficas utilizadas e todos os arquivos em formato de mídia PDF.

FLORÂNIA

História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Por Junior Galdino

  BANDEIRA OFICIAL

BRASÃO

HINO DO MUNICÍPIO DE FLORÂNIA/RN
Letra por Ana Maria de Azevêdo Souza / Melodia por Maestro Marciano Ribeiro da Costa

Florânia terra querida
Linda filha do sertão
Cantaremos em nossa lira
O que plantaste em nosso coração.

Oh! coração do Seridó
Onde se irradia mais fulgor
Os seresteiros vão cantando
Tua beleza e esplendor.

Rincão cercado de serras
Perfumado de Bugi
Cheio de flores tão belas
Que sempre vão nos seguir.

Tua fé e esperança em festa
Numa eterna melodia
Teus espinhos e pedras se transformam
Em canção e poesia.

Solo puro e bravio
O trabalho nos faz crescer
Sempre humilde e hospitaleiro
Cada dia nos faz vencer.

Ao longo de teus caminhos
Vaqueiros tangem o gado.
E o vento leva as cantigas
Ao santo Monte amado.

Cosme de Abreu é teu exemplo
De coragem e bravura.
Na luta, paz e bondade.
Cheio de amor e candura.

Colhemos tua paz
No branco do algodão
Que é nosso orgulho de colheita
Um pouco de nosso pão.

Oh! Florânia terra querida
De riquezas sem igual
Do Brasil tão querido
Tão bela, sem rival.

Foto: Maestro Marciano Ribeiro da Costa (Portal Inforside)

Foto: Ana Maria de Azevêdo Souza(Junior Galdino)

Anúncios

FLORÂNIA – HIDROGRAFIA E HIDROGEOLOGIA. (7º Fascículo)

O Blog Coisas de Florânia compromissado com o SABER COLETIVO das nossas coisas lança em primeira mão a categoria FLORÂNIA – História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Essa categoria é subdividida em vários fascículos, tornando de fácil acesso uma pesquisa mais profunda sobre o município de Florânia/RN.

Nesse sétimo “fascículo virtual” abordaremos a HIDROGRAFIA E A HIDROGEOLOGIA do município.

Ao término das postagens desses fascículos disponibilizaremos as referências bibliográficas utilizadas e todos os arquivos em formato de mídia PDF.

FLORÂNIA

História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Por Junior Galdino

HIDROGRAFIA

O município de Florânia fica localizado entre o Rio Rossaurubú e Quixodé estando inseridos na Bacia Açu-Piranhas, bacia essa que cobre com suas águas 40% da área do Rio Grande do Norte.

O município encontra-se com 100% do seu território inserido na Bacia Hidrográfica do rio Piranhas – Açu.

Os principais rios de Florânia são:

Rossaurubú, Garganta, Quixodé, Cajazeiras, Umari-preto/Patacorô, Pé de Serra e Dizimeiro.

O mais importante rio é o Rossaurubú, que nasce na Serra de Santana (cidade de Tenente Laurentino Cruz), no sítio Riachão e em direção sul, passa no antigo lugar “Rossaurubu”, nos sítios Capim-Açu, Catolé, Brejinho e Condado, à esquerda da cidade de Florânia, e à direita, na Fazenda Passagem, Juazeiro do Padre, Barrocas, Ipueira, Livramento e Pitombeira, indo reunir-se ao rio Quinquê, no lugar Barra do Acari com um curso de 60 km a despejar no rio São José, junto à cidade de Cruzeta/RN.

Foto 6 – Rio Rossaurubú (inverno 2011).

Atualmente a política para o semi-árido norte-rio-grandense volta-se também para a instalação de adutoras que visam beneficiar as populações da região.

O município não dispõe de mananciais com qualidade e quantidade que permitam a implantação de obras de abastecimento. Portanto fez-se necessário o beneficiamento de oferta d`água através do Sistema Adutor Serra de Santana, que tem como objetivo o abastecimento humano e dessedentação animal.  Também conhecido como Adutora Deputado Aristófanes Fernandes o sistema possui uma extensão total de 194,940 Km, a captação d`água bruta é feita no lago da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, localizado no município de Jucurutu e possibilita uma vazão total de 124,65 l/s ou 448,74 m³/h.

HIDROGEOLOGIA

Aqüífero Cristalino

Engloba todas as rochas cristalinas, onde o armazenamento de águas subterrâneas somente se torna possível em áreas que a geologia local apresentar fraturas associadas a uma cobertura de solos residuais significativas. Os poços perfurados apresentam uma vazão média baixa de 3,05 m³/h e uma profundidade de até 60 m, com água comumente apresentando alto teor salino de 480 a 1.400 mg/l com restrições para consumo humano e uso agrícola.

Aqüífero Aluvião

Apresenta-se disperso, sendo constituído pelos sedimentos depositados nos leitos e terraços dos rios e riachos de maior porte. Estes depósitos caracterizam-se pela alta permeabilidade, boas condições de realimentação e uma profundidade média em torno de 7 metros. A qualidade da água geralmente é boa e pouco explorada.

FLORÂNIA – PAISAGENS GEOLÓGICAS E SEUS RELEVOS. (6º Fascículo)

O Blog Coisas de Florânia compromissado com o SABER COLETIVO das nossas coisas lança em primeira mão a categoria FLORÂNIA – História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Essa categoria é subdividida em vários fascículos, tornando de fácil acesso uma pesquisa mais profunda sobre o município de Florânia/RN.

Nesse sexto “fascículo virtual” abordaremos as PAISAGENS GEOLÓGICAS E OS RELEVOS do município.

Ao término das postagens desses fascículos disponibilizaremos as referências bibliográficas utilizadas e todos os arquivos em formato de mídia PDF.

FLORÂNIA

História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Por Junior Galdino

AS PAISAGENS GEOLÓGICAS E OS RELEVOS

RELEVO FLORANIENSE


Planalto da Borborema

De 200 a 750 metros de altitude.

Serra de Santana

Serra da Garganta

Serra do Cajueiro

Depressão Sertaneja – terrenos baixos situados entre as partes altas do Planalto da Borborema e da Chapada do Apodi.


Planalto da Borborema – terrenos antigos, formados pelas rochas Pré-Cambrianas como o granito, onde se encontram as serras e os picos mais altos.

Foto – Serra da Garganta(conhecida também por Serra Grande) – por Junior Galdino


Aspectos Geológicos e Geomorfológico

Geologicamente o município abrange dois tipos de terrenos distintos, o Embasamento Cristalino e a Formação Serra do Martins.

Embasamento Cristalino – ocupa a porção do município com cotas topográficas mais baixas, é caracterizado por rochas de idade Pré-Cambriana Superior, 570 – 1.000 milhões de anos, Grupo Seridó, com xistos, mármores e filitos, e Pré-Cambriano Médio a Inferior, 1.100 – 2.500 milhões de anos, Grupo Caicó, com migmatitos, gnaisses, granitos, anfibolitos e calcário.


Formação Serra do Martins – é representada por sedimentos de idade Terciária, em torno de 30 milhões de anos, com arenitos, conglomerados e argilas variadas, que ocupam o topo da Serra de Santana, sendo testemunhos de uma cobertura sedimentar mais extensa que foi erodida.

Geomorfologicamente predominam relevos de topo convexo com diferentes ordens de grandeza e de aprofundamento de drenagem, separados geralmente por vales em “V” e eventualmente por vales de fundo plano.

Para conhecer os outros fascículos é só acessar a categoria FLORÂNIA – História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

FLORÂNIA E O SEU CLIMA SEMI-ÁRIDO. (5º Fascículo)

O Blog Coisas de Florânia compromissado com o SABER COLETIVO das nossas coisas lança em primeira mão a categoria FLORÂNIA – História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Essa categoria é subdividida em vários fascículos, tornando de fácil acesso uma pesquisa mais profunda sobre o município de Florânia/RN.

Nesse quinto “fascículo virtual” abordaremos o CLIMA.

Ao término das postagens desses fascículos disponibilizaremos as referências bibliográficas utilizadas e todos os arquivos em formato de mídia PDF.

FLORÂNIA

História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Por Junior Galdino

Foto – Tarde chuvosa em Florânia/RN. Destaque da evaporação (mormaço) sobre o telhado. Por Junior Galdino

CLIMA

Tipo – Clima muito quente e semiárido.

Precipitação Pluviométrica Anual

Normal: 560,4 mm

Período Chuvoso

Março a Abril

Temperaturas Médias Anuais

Máxima: 33,0 °C

Média: 26,6 °C

Mínima: 21,0 °C

Umidade Relativa Média Anual: 61%

Horas de Insolação: 2.400 por ano

FLORÂNIA E O BIOMA CAATINGA. (4º Fascículo)

O Blog Coisas de Florânia compromissado com o SABER COLETIVO das nossas coisas lança em primeira mão a categoria FLORÂNIA – História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Essa categoria é subdividida em vários fascículos, tornando de fácil acesso uma pesquisa mais profunda sobre o município de Florânia/RN.

Nesse quarto “fascículo virtual” abordaremos o BIOMA CAATINGA, nossa vegetação única no mundo inteiro.

Ao término das postagens desses fascículos disponibilizaremos as referências bibliográficas utilizadas e todos os arquivos em formato de mídia PDF.

FLORÂNIA

História, Geografia e Aspectos Políticos-Culturais.

Por Junior Galdino

VEGETAÇÃO – BIOMA CAATINGA

 

Foto – Vegetação Caatinga (Santuário das Graças) – Por Junior Galdino

Caatinga Hiperxerófila – vegetação de caráter mais seco, com abundância de cactáceas e plantas de porte mais baixo e espalhadas. Entre outras espécies destacam-se a jurema-preta, mufumbo, faveleiro, pereiro, mufumbo e angico.

Segundo o Plano Nacional de Combate a Desertificação – PNCD, que define desertificação como a degradação da terra nas zonas áridas, semi-áridas e sub-úmidas secas, resultantes de fatores diversos tais como as variações climáticas e as atividades humanas, o município de Florânia está inserido em área susceptível à desertificação em categoria Muito Grave.

Em breve mais postagens. É só continuar acessando!