Minha cidade

                            a Florânia

Minha cidade velha, cidade sorridente
Casas cercadas por serras,
Que sorriem para as suas flores
A prefeitura e o prédio mais bonito
A igrejinha branca, um mar de santidade

De um lado e outro, rios a cercam
Sempre periódicos, sempre vazios

Bem de longe, um pequeno monte
Preces, sonhos, promessas, orações
De um lado Santana
Do outro Cajueiro
E assim, mais serra
Mais sertão

Um carro rola pela rua
Movimento a noite, na pracinha
Casais murmuram amores
Nas calçadas, velhotes falam de políticas
E os jovens do próximo baile

Minha cidade velha, tão nova
Que o progresso ainda não arrasou
Que ainda possui crianças brincando nas praças
E andorinhas à tardinha
Tudo cheio de flores
Sino na Ave Maria…
Minha cidade velha, Oh! Cidade minha!

Ana Mª Azevedo

Anúncios

Sobre Domingos e Junior

somos Pedagogo e geógrafo

Uma resposta »

  1. adalgiza batista disse:

    ana sou grande admiradora sua,por essa e outras obras que vc eterna florâniense nos trouxe!vc é única.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s